Ganhar, gastar, guardar

por Denyse Godoy

 

Este blog rumou para um novo endereço!!!

Queridíssimos leitores,

A partir deste momento, o Ganhar, gastar, guardar, o blog de finanças pessoais –e o único de economia– da Folha.com está de casa nova! Por favor, incluam o endereço nos seus favoritos: http://denysegodoy.blogfolha.uol.com.br/Rindo a toa

O que não muda é a missão de lhes levar sempre toda informação útil e interessante que diz respeito ao seu bolso! Então, continuem sempre à vontade para participar dos debates, mandar sugestões, dúvidas, comentários. Poderemos ficar ainda mais próximos agora, com as funcionalidades adicionais do diário.

Os textos anteriores, deste site, permanecerão acessíveis na nova página, organizados em ordem cronológica.

Me acompanham?

Um grande abraço!

PS.: Aproveitem para conhecer as demais colunas do portal, também remodeladas. Conteúdo de altíssima qualidade a seu serviço: www.folha.com.br/blogs.

Escrito por Denyse Godoy às 21h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bradesco cria o primeiro fundo de investimento em ações de empresas americanas negociadas no Brasil

O banco Bradesco começa a vender amanhã as quotas do primeiro fundo de investimento em empresas americanas que são negociadas na BM&FBovespa.

Das cerca de 70 corporações dos EUA já lançadas na Bolsa brasileira, dez farão parte do novo produto: Oracle, Walt Disney, McDonald’s, Caterpillar, Apple, American Express, General Electric, Walmart, Merck e Colgate Palmolive.

"Trata-se de uma alternativa interessante de diversificação de portfólio. O investidor poderá, dessa maneira, aplicar em setores que ainda não estão representados por companhias nacionais, como o de entretenimento e comunicação", explica Joaquim Levy, diretor da gestora Bradesco Asset Management.

Tais gigantes fizeram-se presentes no mercado local por meio de um título chamado BDR, Brazilian Depositary Receipt, um comprovante de que as ações propriamente ditas, emitidas na Bolsa de Nova York, encontram-se sob a guarda de uma instituição financeira designada.

Até o momento, esses ativos somente estavam ao alcance de quem possuía um patrimônio de ao menos R$ 1 milhão aplicado, os chamados investidores super qualificados (pessoas físicas ou jurídicas).

A restrição se dá por norma da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), autarquia que fiscaliza o segmento. Como as transações são indiretas –por BDRs e não ações exatamente–, as empresas não precisam seguir as regras brasileiras, então o órgão regulador achou por bem limitar o acesso aos títulos a quem em teoria possui mais informação e experiência em Bolsa de Valores.

Entretanto, desde que os papeis começaram a ser lançados, em outubro de 2010, os bancos do país dizem que pretendem trazê-los para perto dos investidores de menor porte interessados em colocar uma parte dos seus recursos em companhias americanas. A BM&FBovespa também vê os BDRs como parte relevante da estratégia para popularizar o mercado acionário, já que os nomes famosos atraem os jovens. 

O fundo –exclusivamente de ações– criado pelo Bradesco começa a abrir caminho: destina-se a clientes que são investidores ditos qualificados, ou seja, que possuem pelo menos R$ 300 mil guardados.

O primeiro aporte deve ser de R$ 10 mil; os adicionais, de R$ 1.000 no mínimo. A taxa de administração fica em 2,5% ao ano.

"Em todas as ocasiões, antes de fazer uma aplicação financeira, o investidor já responde a um questionário que traça o seu perfil, para que seja orientado a respeito dos produtos adequados aos seus objetivos e ao risco que consegue correr", diz Marcos Daré, diretor do segmento Prime (de alta renda) do Bradesco. "Nossos gestores estarão sempre disponíveis para prestar todos os esclarecimentos aos clientes. Recebemos um grande voto de confiança do regulador."

Não há previsão de estruturação de um fundo que aceite investidores realmente pequenos.

Os investidores menores deveriam poder aplicar nesses papeis de empresas americanas? Deixe um comentário! Sorriso

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

Escrito por Denyse Godoy às 21h16

Comentários () | Enviar por e-mail | Investimentos | PermalinkPermalink #

Com atuação do Banco Central para segurar cotações, dólar vai mesmo parar de cair?

Depois de atingir R$ 1,9008 em setembro de 2011, a maior cotação em dois anos, o dólar comercial passou a recuar aceleradamente –só no mês passado sofreu uma baixa de 7,2%.

Quem tem viagem internacional programada fica torcendo para que continue a desvalorização, é claro.

Mas, observando tal movimento, o Banco Central –que regula e supervisiona o mercado–, passou a comprar divisas a fim de tentar segurar as cotações. Hoje, realizou mais um leilão com esse objetivo.

A intenção dessa medida é preservar o valor das exportações brasileiras e impedir que produtos estrangeiros invadam o país.

Para os operadores de câmbio, o governo quer estabelecer um piso informal para o dólar em R$ 1,70. O teto ficaria perto de R$ 1,90, nível em que o BC começou a vender divisas, no ano passado, em operações opostas às que tem realizado no momento.

Considerar esse como o intervalo de oscilação das cotações pode ajudar os turistas a se planejar.

"Os limites parecem bem claros. Aos meus clientes tenho dito que é pouco provável que a divisa volte a R$ 1,50 ou mesmo R$ 1,60, como em 2011. Quem tiver condições pode aproveitar para ir comprando aos pouquinhos até a data da sua partida", diz Fernando Bergallo, gerente da corretora TOV.

Há um argumento poderoso a favor de baixas adicionais, porém. O fluxo de entrada de recursos anda bastante forte: em janeiro, foi o maior em quatro meses.

"Surgiu uma luz no fim do túnel para a Europa e os EUA dão sinais de recuperação. Assim, os grandes investidores que fugiram do Brasil já estão voltando, para recuperar o que deixaram de ganhar no tempo em que se afastaram", afirma Reginaldo Galhardo, gerente da corretora Treviso. "A tendência, portanto, é que o dólar caia mais, sim."

Quando a divisa alcançou R$ 1,50, no início do ano passado, só a intervenção do BC não foi suficiente para conter a queda. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, precisou aumentar os impostos para tornar as transações financeiras menos atraentes para os grandes investidores de outras nações.

Nesta quarta-feira, apesar da aquisição realizada pela autoridade monetária, a cotação recuou 0,34%, a R$ 1,718.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

+ MATÉRIAS EM MERCADO

DICAS PARA CUIDAR BEM DO SEU DINHEIRO

Escrito por Denyse Godoy às 19h51

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dell, Ford, LinkedIn, Philip Morris, Netflix e Verizon agora estão na Bolsa brasileira. Mas não se anime

Além das empresas citadas, Amgen, Comcast, Halliburton e Qualcomm também passaram a ser negociadas hoje na BM&FBovespa, sob a forma de BDRs (Brazilian Depositary Receipts) não patrocinados.

Esse título é um comprovante de que as ações encontram-se em posse do banco credenciado para tal função –no caso, o Citibank. As companhias não se responsabilizam pelas transações e nem são obrigadas a seguir as regras brasileiras.

Por esse motivo, pequenos investidores não podem comprar os papeis. A CVM (Comissão de Valores Mobiliários), autarquia que regula e fiscaliza o mercado, coloca tal restrição como medida de cautela.

Desde que os BDRs surgiram, em outubro de 2010, a Bolsa diz que esses ativos estarão ao alcance dos participantes de menor porte em fundos de investimento criados por bancos. Até o momento, entretanto, nenhuma instituição criou um produto do gênero.

O Bradesco já pediu autorização para estruturar essa ferramenta, a ser oferecida a clientes que apliquem ao menos R$ 300 mil. Atualmente, só quem tem no mínimo R4 1 milhão consegue aproveitar a oportunidade.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

DICAS PARA CUIDAR BEM DO SEU DINHEIRO

Escrito por Denyse Godoy às 13h33

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

AGENDA: Cursos e palestras para aprender a cuidar melhor do seu dinheiro

Confira as oportunidades de aprendizado sobre finanças pessoais oferecidas por diversas instituições:

---PRESENCIAIS---

BAHIA

Salvador

10/02, das 11h às 18h
Palestra: Opere ao vivo
Organização: Rico, homebroker da corretora Octo Investimentos, e Proinvestors
Local: Sede da Proinvestors - Avenida Tancredo Neves, 3343 - salas 301 e 306 - Pituba
Custo: R$ 240 para clientes e R$ 330 para não clientes
Mais informações: http://www.rico.com.vc/; telefones (71) 3419 2575 e (71) 3419 2572


PARANÁ

Curitiba

10/02, das 18h às 23h
Curso: Avançado de operações com ações e opções
Organização: Corretora Walpires
Local: Hotel Transamérica Batel - Avenida do Batel, 1732 - Batel
Custo: R$ 750 em até três vezes
Para participar: Inscreva-se pelo site http://www.seuconsultorfinanceiro.com.br/cursosPresencial_Curso.php?idPai=15&idFilho=348#


RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro

07/02, das 18h30 às 20h30
Palestra: Invista no mercado financeiro
Organização: UM Educacional
Local: Sede da UM Investimentos - Praça XV de Novembro, 20 - Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail palestrasrj@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br; telefones (21) 2508 3939 e (21) 2508 3946


SÃO PAULO

São Paulo

07/02, das 9h às 12h
Palestra:
 Aposentadoria sem dívidas
Organização: Instituto Dsop de Educação Financeira
Local: Sede do Dsop - Avenida Paulista, 726, conjunto 1210 - Bela Vista
Custo: gratuito 
Para participar: Inscreva-se pelo telefone (11) 3177 7800 ou pelo email dividas@dsop.com.br
Mais informações: http://www.dsop.com.br/agenda.html?controller=simplecalendar&view=detail&id=460

08 e 09/02, das 18h30 às 22h30
Curso: Aprenda a investir com facilidade
Organização: UM Educacional
Local: Filial da UM Investimentos em São Paulo - Av. Chedid Jafet, 222 - Vila Olímpia
Custo: R$ 350 (em até 12 vezes sem juros ou à vista com desconto)
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail cursos@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br; (11) 3525 3478

11/02, das 8h30 às 17h30
Curso: Análise fundamentalista de empresas
Organização: Consultoria Comdinheiro e FIA (Fundação Instituto de Administração)
Local: Unidade FIA Butantã - Rua José Alves da Cunha Lima, 172 - Butantã
Custo: R$ 1.000 (em duas vezes iguais ou com 10% de desconto à vista)
Para participar: Inscreva-se pelo site http://www.fiaefinancas.com.br/mod/resource/view.php?id=52
Mais informações:  fiaefinancas@fiaefinancas.com.br; (11) 3732 2002

11/02, das 8h30 às 20h
Curso: Formação de educador financeiro Dsop
Organização: Instituto Dsop de Educação Financeira
Local: Sede do Dsop - Avenida Paulista, 726, conjunto 1210 - Bela Vista
Custo: R$ 3.500,00 
Para participar: Inscreva-se pelo telefone (11) 3177 7800
Mais informações: http://loja.dsop.com.br/cursos-presenciais/educador-financeiro.html

13 e 14/02, das 19h às 22h30
Curso: Educar Família – planejamento de orçamento e investimentos
Organização: BM&FBovespa
Local: Sede da Bolsa – Rua XV de Novembro, 275 - Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos

28 e 29/02 e 01 e 02/03, das 19h às 22h30
Curso: Valuation - Análise de empresas para investimentos
Organização: Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais)
Local: Sede da Apimec - Rua Líbero Badaró, 300, 2o. andar - Centro
Custo: R$ 800 para associados Apimec e R$ 1.100 para não-associados
Para participar: Inscreva-se pelo email eventos@apimecsp.com.br ou pelo telefone (11) 3107 1571
Mais informações: No site http://www.projup.com.br/arq/121/arq_121_219470.jpg


---À DISTÂNCIA---

A partir de 10/02 (Inscrições até 09/02)
Curso: Aprenda a administrar seu dinheiro
Organização: Prof. Elisson de Andrade
Custo: gratuito
Para participar: Acesse o site http://profelisson.com.br/cursosonline/como-organizar-sua-vida-financeira/

10/02, das 18h30 às 20h30
Curso: Introdução ao mercado financeiro
Organização: UM Educacional
Custo: R$ 50,00
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail cursos@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br; (11) 3525 3478, (21) 2508 3939 e (21) 2508 3946

10/02, das 18h30 às 20h30
Curso: Análise gráfica sem mistério
Organização: UM Educacional
Custo: R$ 50,00
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail cursos@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br; (11) 3525 3478, (21) 2508 3939 e (21) 2508 3946

Permanente
Cursos: Finanças pessoais e mercado de ações (vários)
Organização: BM&FBovespa
Custo: gratuito
Para participar: Acesse o site http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/educacional/cursos/cursos.aspx?idioma=pt-br

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

DICAS PARA CUIDAR BEM DO SEU DINHEIRO

Escrito por Denyse Godoy às 23h18

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

É hora de renegociar a mesada!

A conquista de metas e a assunção de novas funções estão entre os motivos que levam os adultos a pedir aumento de salário aos seus chefes.

Para as crianças, a volta às aulas é o momento de batalhar por uma elevação da mesada, porque os preços dos quitutes na lanchonete da escola subiram ou a sua vida social será incrementada.     

"Os pais devem aproveitar essa riquíssima oportunidade para ajudar seus filhos a pensar o valor do dinheiro e com ele criar uma relação salutar", diz Reinaldo Domingos, presidente do instituto de educação financeira Dsop.

Assim, o processo de readequação dos valores, conforme ensinam os especialistas a seguir, precisa ter a participação das crianças e dos adolescentes em todas as etapas:

1 – Levante as fontes de dinheiro dos filhos
Muitas vezes, nem os responsáveis diretos conversam entre si sobre os montantes dados semanal ou mensalmente –e os estudantes ainda costumam pedir recursos para tios e avós.
Então, é essencial acertar com todos os familiares as quantias e as ocasiões de presente a fim de organizar corretamente o orçamento.

2 – Defina o destino e a freqüência da mesada
O lanche no intervalo das aulas, a condução, o cineminha no final de semana, a reposição do material escolar...
Cada família estabelece como julgar adequado as despesas que serão cobertas pela verba dada aos filhos e a periodicidade. (Para crianças menores de onze anos, recomenda-se que seja semanal. Depois, adota-se intervalos maiores.)
"Mais importante que os detalhes é o acordo, sobre o qual a vida financeira dos jovens será construída", ensina Domingos.

3 – Pesquise os preços dos itens usualmente comprados pelos filhos
O objetivo da medida é avaliar quanto os custos dos jovens realmente subiram, pois tomar como referência as próprias despesas é um equívoco que muitos pais cometem. Não se pode imaginar que o gasto do estudante com merenda é o mesmo de um almoço em um restaurante perto do escritório.
Visitando a cantina da escola e as papelarias, dá para se envolver mais com a realidade dos jovens. "Além de falar sobre dinheiro, essa é uma chance de discutir a alimentação dos filhos e propor soluções gostosas e saudáveis", lembra a educadora financeira Cássia D’Aquino.

4 – Questione outros pais sobre os valores
Os montantes praticados em outras famílias ajudam a estabelecer parâmetros. Não é bom ficar muito abaixo ou acima da média.

5 – Revise as contas para eliminar excessos
Por exemplo, mudar de plano de celular e ir ao cinema em dias alternativos melhoram os gastos. Trata-se de uma boa lição a ensinar. 

6 – Estabeleça uma negociação de verdade
Colocando todos os dados reunidos sobre a mesa, peça que as crianças e adolescentes justifiquem o pedido de reajuste e convençam seus responsáveis sobre suas necessidades.

7 – Conceda, como aumento, um valor intermediário
Fixe a nova mesada em cerca de 85% do montante indicado pelos cálculos realizados, o que vai obrigar os filhos a encontrar maneiras de economizar para esticar os recursos.

8 – Fale sobre crédito
Não, não é muito cedo.
"A caderneta da cantina está para os estudantes como o cartão de crédito está para os adultos, dando a falsa impressão de que se pode ter tudo o que se deseja na hora que se quer", afirma Cássia. "As crianças metem os pés pelas mãos de forma grave, porque sua capacidade de abstração está em desenvolvimento."
Nesse sentido, uma boa ideia é sugerir que o filho divida seus recursos em partes e carregue consigo somente o que pretende gastar naquele dia –fica mais fácil se controlar e compreender a finitude do dinheiro.

9 – Incentive o hábito de anotar ganhos e gastos
Tão simples, o costume de registrar em um caderno o dinheiro que entra e as suas despesas é a semente de um futuro financeiro feliz.

Como você resolve as questões de mesada com seus filhos? Deixe um comentário! Sorriso

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

Escrito por Denyse Godoy às 09h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Erros na execução de operações continuam liderando reclamações à Bolsa

Em 2011, o serviço de ombudsman da BM&FBovespa recebeu o menor volume de reclamações desde a sua criação, em 2006: 689, 6,3% abaixo do número registrado em 2010.

"Mas se trata de uma redução muito pequena, que interpretamos como estabilidade. Por uma observação empírica, considerando a quantidade de investidores e de instituições, acreditamos que esse é o nível médio de queixas inerente ao mercado de capitais brasileiro", diz Izalco Sardenberg, o ouvidor da Bolsa de Valores brasileira.

Como nos anos anteriores, os erros na execução de pedidos de negociação aparecem no topo da lista de protestos, com 40%. Dificuldades na transferência de custódia entre corretoras somaram 13% e problemas com os canais eletrônicos de transação (atualmente, só o "home broker"), 12%.  

"Por mais que trabalhemos com os investidores e as corretoras, é difícil reduzir os erros e desvios, evitar que se coloquem como o principal descontentamento", diz Sardenberg. "Essa cifra representa uma porcentagem mínima do total de operações."

Diante das 141,229 milhões de ordens cumpridas em 2011, 0,00002%. "Não vejo problema grave no país quanto a essa questão", afima o ombudsman.

Neste ano, a BM&FBovespa vai lançar um guia para ensinar o pequeno investidor a resolver pequenos contratempos e encaminhar suas dúvidas e reclamações à Bolsa. Também realizará um workshop com os ouvidores das corretoras de valores a fim de ajudá-las a aprimorar o atendimento.

Essas intermediárias foram alvo de 72% das demandas ao ombudsman; os bancos vieram com 8%; a própria Bolsa, com 8%; e as empresas listadas, com 2%.

Os interessados em falar com Sardenberg devem primeiro protocolar sua queixa pelo telefone (11) 3272 7373 ou pelo site http://www.bmfbovespa.com.br/shared/iframe.aspx?altura=600&idioma=pt-br&url=www.intergrall.com.br/callcenter/bolsanova_contato.php. Com a identificação do recibo, podem ligar para  0800 770 0149. O prazo para resposta é de trinta dias, prorogáveis por mais quinze em casos complexos.

Você já teve problemas operando na Bolsa? Deixe um comentário! Sorriso

Escrito por Denyse Godoy às 17h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Site que pesquisa melhores financiamentos imobiliários agora vai comparar consórcios

O Canal do Crédito (www.canaldocredito.com.br), portal que funciona como um corretor on-line de financiamentos imobiliários, pesquisando as opções de empréstimo mais vantajosas, vai lançar na segunda quinzena de fevereiro uma facilidade semelhante relacionada a consórcios. Não só de casas e apartamentos, mas também de veículos e serviços como viagens, cursos de pós-graduação e cirurgias plásticas.

"Desenvolvemos uma metodologia que trata essa ferramenta como um investimento –já que o cliente precisa recolher determinada quantia todo mês a fim de retirar o bem desejado– e mostra qual produto oferece o maior retorno para o dinheiro aplicado, considerando a taxa de administração e outros custos", explica Marcelo Prata, fundador do site.

A fim de ajudar o usuário a escolher o melhor instrumento, serão informados ainda o número de reclamações procedentes registradas no Banco Central a respeito de cada administradora e a quantidade de grupos sob sua coordenação.   

O levantamento é grátis para o consumidor –a instituição financeira com a qual fechar negócio pagará uma tarifa para o Canal do Crédito, no mesmo modelo adotado pelo buscador de empréstimos habitacionais. Desde 2009, quando foi criada, a consultoria já realizou R$ 3,5 bilhões em simulações e atendeu cerca de 50 mil interessados, segundo Prata.

VOCÊ SABIA QUE...
...o consórcio é um mecanismo só existente no Brasil? Nasceu em 1960, época da instalação da indústria automobilística no país, por obra de funcionários do Banco do Brasil que tiveram a ideia de montar um fundo com o objetivo de facilitar a aquisição de carros pelos seus membros.
Atualmente, conta com aproximadamente quatro milhões de associados em uma carteira de R$ 34 bilhões. Piscadela

Escrito por Denyse Godoy às 13h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Empresas já começaram a enviar os comprovantes de quitação das contas de 2011

A lei federal 12.007, de julho de 2009, obriga as companhias que mantêm relacionamento perene com o consumidor a remeter aos seus clientes em maio o certificado de quitação das contas do ano anterior, mas muitas prestadoras de serviço já estão mandando o comprovante.

Geralmente, o atestado aparece como uma inscrição na fatura regular, não é enviado à parte.

Esse resumo substitui os recibos individuais de pagamento –de cartão de crédito, água, luz, academia de ginástica, escola de idiomas, TV a cabo, internet, plano de saúde, etc– para que o usuário possa se desfazer do excesso de papelada referente aos meses de 2011.

Quem não receber o documento pelo correio deve solicitá-lo à empresa.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

Escrito por Denyse Godoy às 22h39

Comentários () | Enviar por e-mail | Despesas | PermalinkPermalink #

AGENDA: Cursos e palestras para aprender a cuidar melhor do seu dinheiro

Confira as oportunidades de aprendizado sobre finanças pessoais oferecidas por diversas instituições:


---PRESENCIAIS---

BAHIA

Salvador

10/02, das 11h às 18h
Palestra: Opere ao vivo
Organização: Rico, homebroker da corretora Octo Investimentos, e Proinvestors
Local: Sede da Proinvestors - Avenida Tancredo Neves, 3343 - salas 301 e 306 - Pituba
Custo: R$ 240 para clientes e R$ 330 para não clientes
Mais informações: http://www.rico.com.vc/; telefones (71) 3419 2575 e (71) 3419 2572


PARANÁ

Curitiba

10/02, das 18h às 23h
Curso: Avançado de operações com ações e opções
Organização: Corretora Walpires
Local: Hotel Transamérica Batel - Avenida do Batel, 1732 - Batel
Custo: R$ 750 em até três vezes
Para participar: Inscreva-se pelo site http://www.seuconsultorfinanceiro.com.br/cursosPresencial_Curso.php?idPai=15&idFilho=348#


RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro

07/02, das 18h30 às 20h30
Palestra: Invista no mercado financeiro
Organização: UM Educacional
Local: Sede da UM Investimentos - Praça XV de Novembro, 20 - Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail palestrasrj@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.brtelefones (21) 2508 3939 e (21) 2508 3946


SÃO PAULO

São Paulo

31/01, das 9h às 12h
Palestra:
 Preparando-se para uma vida sem dívidas
Organização: Instituto Dsop de Educação Financeira
Local: Sede do Dsop - Avenida Paulista, 726, conjunto 1210 - Bela Vista
Custo: gratuito 
Para participar: Inscreva-se pelo telefone (11) 3177 7800 ou pelo email dividas@dsop.com.br
Mais informações: http://dsop.com.br/agenda.html?controller=simplecalendar&view=detail&id=424

01 e 02/02, das 18h30 às 22h30
Curso: Estratégias de trading
Organização: UM Educacional
Local: Filial da UM Investimentos em São Paulo - Av. Chedid Jafet, 222 - Vila Olímpia
Custo: R$ 350 (em até 12 vezes sem juros ou à vista com desconto)
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail cursos@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br; (11) 3525 3478

02/02, das 19h30 às 20h30
Palestra:
  Formação da Europa - Do império à crise atual
Organização: Apogeo Investimentos 
Local:  Sede da  Apogeo Investimentos – Rua dos Pinheiros, 498, conjunto 81 - Pinheiros
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.apogeo.com.br

06/02, das 9h às 18h
Curso: Análise gráfica para o mercado de ações
Organização: UM Educacional
Local: Filial da UM Investimentos em São Paulo - Av. Chedid Jafet, 222 - Vila Olímpia
Custo: R$ 350 (em até 12 vezes sem juros ou à vista com desconto)
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail cursos@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br(11) 3525 3478

11/02, das 8h30 às 17h30
Curso: Análise fundamentalista de empresas
Organização: Consultoria Comdinheiro e FIA (Fundação Instituto de Administração)
Local: Unidade FIA Butantã - Rua José Alves da Cunha Lima, 172 - Butantã
Custo: R$ 1.000 (em duas vezes iguais ou com 10% de desconto à vista)
Para participar: Inscreva-se pelo site http://www.fiaefinancas.com.br/mod/resource/view.php?id=52
Mais informações:  fiaefinancas@fiaefinancas.com.br; (11) 3732 2002

13 e 14/02, das 19h às 22h30
Curso: Educar Família – planejamento de orçamento e investimentos
Organização: BM&FBovespa
Local: Sede da Bolsa – Rua XV de Novembro, 275 - Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos

28 e 29/02 e 01 e 02/03, das 19h às 22h30
Curso: Valuation - Análise de empresas para investimentos
Organização: Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais)
Local: Sede da Apimec - Rua Líbero Badaró, 300, 2o. andar - Centro
Custo: R$ 800 para associados Apimec e R$ 1.100 para não-associados
Para participar: Inscreva-se pelo email eventos@apimecsp.com.br ou pelo telefone (11) 3107 1571
Mais informações: No site http://www.projup.com.br/arq/121/arq_121_219470.jpg


---À DISTÂNCIA---

10/02, das 18h30 às 20h30
Curso: Introdução ao mercado financeiro
Organização: UM Educacional
Custo: R$ 50,00
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail cursos@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br; (11) 3525 3478, (21) 2508 3939 e (21) 2508 3946

10/02, das 18h30 às 20h30
Curso: Análise gráfica sem mistério
Organização: UM Educacional
Custo: R$ 50,00
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail cursos@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br; (11) 3525 3478, (21) 2508 3939 e (21) 2508 3946

Permanente
Cursos: Finanças pessoais e mercado de ações (vários)
Organização: BM&FBovespa
Custo: gratuito
Para participar: Acesse o site http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/educacional/cursos/cursos.aspx?idioma=pt-br

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

DICAS PARA CUIDAR BEM DO SEU DINHEIRO

Escrito por Denyse Godoy às 21h10

Comentários () | Enviar por e-mail | Agenda | PermalinkPermalink #

Nova tecnologia permite pagar compras na internet parceladas no boleto bancário

Atualmente, compras realizadas em lojas virtuais só podem ser parceladas no cartão de crédito. A quem não possui o plástico, prefere não utilizá-lo na internet pelo medo de fraudes ou simplesmente não quer comprometer o seu limite por muitos meses resta apenas pagar com boleto bancário, à vista.

Um novo sistema criado pela administradora iVarejo agora vai possibilitar que os consumidores fracionem os valores em prestações também utilizando os bloquetos.

A solução –oferecida aos estabelecimentos pela desenvolvedora de programas para comércio eletrônico Braspag– trata, essencialmente, de deixar as faturas mais confiáveis para que os varejistas se sintam seguros em disponibilizar tal opção para seus clientes.

Os especialistas estimam que, hoje, de cada cem compras realizadas com boleto, entre 40% a 45% deixam de ser concretizadas, pois o consumidor simplesmente não quita o documento –devido a esquecimento ou a desistência após uma compra por impulso. O envio do produto depende, claro, do pagamento, por isso as empresas sentiam dificuldade em imaginar um modelo que permitisse dividir os montantes em bloquetos ao longo de determinado período.

"Esse instrumento permitirá um salto nas vendas das lojas on-line", diz Luís Lima, diretor comercial da Braspag.

A fim de fazer parte da nova plataforma, o boleto deve ser formalmente registrado na instituição bancária, lastreado na nota fiscal do produto, e conter informações como os juros a serem cobrados em caso de demora na quitação.

"E, antes de fechar a operação, o cliente tem o seu histórico de pagamento levantado e minuciosamente estudado para a aprovação do cadastro", explica Luiz Otávio de Almeida Carneiro, presidente da iVarejo.

Cada site estipulará as próprias regras para as suas transações, mas a expectativa é que definam uma porcentagem de entrada e entreguem a mercadoria depois da liquidação da primeira fatura.

Acionando a central de atendimento da administradora, os consumidores conseguem consultar os documentos pendentes e solicitar a segunda via, quando necessário.  

A ferramenta, que pode ser empregada por lojas do mundo real e nas vendas de porta em porta, possui a vantagem, para os comerciantes, de custar menos do que o cartão de crédito. Entretanto, significa assumir totalmente o risco da operação, como na aceitação de cheques pré-datados.

Caso o cliente atrase a quitação, vai a protesto e o seu nome é incluído no cadastro de inadimplentes.

Para os bancos, a iVarejo funciona como câmara de negociação dos boletos, intermediando o repasse das faturas que as instituições têm a receber.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

Escrito por Denyse Godoy às 14h07

Comentários () | Enviar por e-mail | Despesas | PermalinkPermalink #

O que fazer quando se perde a casa em um acidente?

"Nossa vida virou pó."

Entre a tristeza e a indignação, um dentista contava ao canal de televisão Globo News, na manhã de hoje, que perdeu seu consultório –o qual dividia com um sócio– no desabamento do prédio onde a sala se localizava, no centro do Rio de Janeiro. Outros dois edifícios ruíram junto, ontem à noite.

A dor de quem sofre a morte de um parente ou amigo em um acidente como esse obviamente supera qualquer outro problema advindo de tal fatalidade, porém é impossível não se colocar no lugar do senhor grisalho que observava, perdido, os caminhões de entulho carregando os restos de 35 anos de trabalho: como agir quando uma tragédia destrói sua casa ou seu negócio?

Poucas pessoas têm uma reserva financeira que lhes permita reconstruir o seu lar ou ganha-pão do zero, se necessário. 

Seguros residenciais, obrigatórios de condomínio e empresariais costumam incluir na sua cobertura básica incêndios e explosões –por exemplo, as provocadas por vazamento de gás, como a que derrubou o restaurante Filé Carioca em outubro passado, também no centro da capital fluminense.

As apólices possuem faixas de indenização –e de preços– bastante amplas, por isso é importante fazer uma avaliação correta dos bens a serem protegidos antes da assinatura do contrato. Afinal, pouco adianta, na hipótese de perda total, contar com um instrumento que oferece apenas R$ 10 mil de compensação.

Muitas vezes, adquire-se seguros por uma ocasional sugestão do gerente do banco ou pela imposição do dono do imóvel ao seu locatário, e aí nem se lê direito a apólice.

Recomenda-se enfaticamente, então, tirá-la da gaveta e revisá-la periodicamente a fim de readequar suas condições à evolução do patrimônio em questão.

Desabamentos por falhas estruturais impressionam e sempre chamam a atenção devido à sua raridade. Por isso mesmo, pouquíssimas seguradoras permitem que o cliente coloque tal cobertura na sua apólice, a um custo bastante elevado.

É complicado atribuir culpas nessa situação; mas, apurando-se as responsabilidades, construtoras e a prefeitura podem ser processadas por danos materiais e morais.

A decisão da Justiça não vem, entretanto, com a urgência que as circunstâncias exigem.

Assim, a melhor orientação para tentar prevenir desastres é deixar a manutenção do imóvel em dia e participar ativamente do cotidiano do condomínio de perto para supervisionar as medidas tomadas pelo síndico e pela administradora.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

+ PARA ENTENDER DIREITO

Escrito por Denyse Godoy às 17h52

Comentários () | Enviar por e-mail | Despesas | PermalinkPermalink #

Competição entre cartões pré-pagos de viagem beneficia o turista

Em 2011, os turistas brasileiros gastaram no exterior US$ 21,2 bilhões, 30% mais do que no ano anterior.

É de olho nessas impressionantes cifras que as principais bandeiras de cartões pré-pagos utilizados em viagens correm para melhorar seus produtos e os serviços agregados --em disputa, está o segundo melhor mercado potencial para tal instrumento de câmbio, atrás somente da China.

Observa-se nesse setor, nos últimos meses, o exemplo mais claro de como a competição favorece o consumidor no país.

Nas funcionalidades básicas, como reposição em caso de perda e segurança no uso, as ferramentas praticamente se equivalem. As inovações têm aparecido, então, no atendimento (e nos mimos) ao usuário e no recarregamento do plástico.    

Ansiosa por recuperar o tempo perdido, a American Express, última grande companhia a lançar um cartão desse tipo, em março do ano passado, é responsável pelo maior avanço do produto desde o seu surgimento: em parceria com o banco Itaú, o emissor, agora oferece a possibilidade de recarga diretamente da conta corrente, pelo internet banking, telefone ou celular. Normalmente, a operação envolve uma razoável burocracia, que consome até dois dias úteis e frustra quem está precisando de recursos extras durante o passeio fora. 

Outra prioridade para a companhia são os convênios com varejistas dos destinos favoritos dos brasileiros –Orlando, Miami e, em breve, Nova York–  para descontos em compras.

Um dos trunfos da Visa está na quantidade de moedas a serem colocadas. Junto com o banco Cruzeiro do Sul, permite ao interessado carregar seu plástico com qualquer divisa circulante no mundo, poupando o turista, dessa maneira, de conversões demasiadas, as quais acabam significando perda de dinheiro.

Também criou, com o banco Rendimento, um cartão VIP, chamado Platinum, que devolve ao cliente a diferença paga caso o turista a mesma mercadoria adquirida com o plástico encontre em outra loja  por valor menor e assegura os itens quanto a quebra e roubo no transporte até a residência.

O usuário de todas as categorias de plástico criadas por esse emissor conseguem, ainda, visualizar saldo e extrato de transações no iPhone e no iPad. Em março, a consulta estará disponível para tablets e celulares com sistema Android e para o BlackBerry.

Para os clientes do cartão da MasterCard, existe um programa de fidelidade que dá pontos a cada compra, os quais troca-se por brindes.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

+ INFORMAÇÕES SOBRE O CÂMBIO PARA VIAGENS

DICAS PARA CUIDAR BEM DO SEU DINHEIRO

Escrito por Denyse Godoy às 20h56

Comentários () | Enviar por e-mail | Despesas | PermalinkPermalink #

Por que o dólar não é investimento

A notável alta das cotações entre setembro e dezembro do ano passado reavivou na lembrança de muitos brasileiros os tempos em que se usava o dólar como investimento ou proteção contra a inflação meados da década de 1980.

Mas há tempos tal estratégia não funciona, por um motivo simples: no longo prazo, a divisa dos EUA perde valor em relação ao real.

Um estudo divulgado hoje serve como argumento definitivo nessa discussão. Segundo levantamento do Instituto Assaf, no período de 2001 a 2011, a aplicação na moeda americana foi a única que deu prejuízo, de 53,83%, já considerando a inflação.

Quem colocou seu dinheiro em títulos públicos se deu melhor: ganhou 183,91%. Em segundo lugar, ficou o ouro outra opção que na realidade não é recomendada para o pequeno poupador com 131%; em terceiro, o DI, com 104,45%.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

Escrito por Denyse Godoy às 19h48

Comentários () | Enviar por e-mail | Investimentos | PermalinkPermalink #

AGENDA: Cursos e palestras para aprender a cuidar melhor do seu dinheiro

Diversas instituições oferecem oportunidades de aprendizado para quem vai efetivamente colocar em prática a decisão de organizar a vida financeira em 2012. Confira:  


---PRESENCIAIS---

BAHIA

Salvador

10/02, das 11h às 18h
Palestra: Opere ao vivo
Organização: Rico, homebroker da corretora Octo Investimentos, e Proinvestors
Local: Sede da Proinvestors: Avenida Tancredo Neves, 3343 - salas 301 e 306 - Pituba
Custo: R$ 240 para clientes e R$ 330 para não clientes
Mais informações: http://www.rico.com.vc/ e telefones (71) 3419 2575 e (71) 3419 2572


RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro

23 e 24/01, das 18h30 às 22h
Curso:
 Educar Master – Curso básico de educação financeira (universitários e adultos)
Organização: BM&FBovespa
Local: Instituto Educacional BM&FBOVESPA: Rua do Mercado, 11 – Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos
Mais informações: www.bmfbovespa.com.br/cursos

24/01, das 13h às 17h30
Curso:
 Educar Mulheres em Ação (planejamento de orçamento e investimentos para mulheres)
Organização: BM&FBovespa
Local: Instituto Educacional BM&FBOVESPA: Rua do Mercado, 11 – Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos
Mais informações: www.bmfbovespa.com.br/cursos


SÃO PAULO

São Paulo

23 e 24/01, das 19h às 22h30
Curso:
  Educar Master – Curso básico de educação financeira (universitários e adultos)
Organização: BM&FBovespa 
Local:  Sede da Bolsa – Rua XV de Novembro, 275, Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos

24/01, das 9h às 12h
Palestra:
 Aposentadoria sem dívidas
Organização: Instituto Dsop de Educação Financeira
Local: Sede do Dsop – Avenida Paulista, 726, conjunto 1210
Custo: gratuito 
Para participar: Inscreva-se pelo telefone (11) 3177 7800 ou pelo email dividas@dsop.com.br
Mais informações:  http://dsop.com.br/agenda.html?controller=simplecalendar&view=detail&id=423

28/01, das 9h às 18h
Curso: Formação de traders
Organização: Rico, homebroker da corretora Octo 
Local: Sede da Rico - Rua Joaquim Floriano, 960, 5o. andar, Itaim Bibi
Custo: R$ 270 para clientes e R$ 360 para não-clientes
Para participar: Inscreva-se pelo site http://www.rico.com.vc/Central/CP/Inscricao.aspx?menuitem=55&idType=1&eventId=1990
Mais informações: www.rico.com.vc e (11) 2505 1907

30/01, das 9h às 15h
Curso: Como investir em ações
Organização: BM&FBovespa
Local: Sede da Bolsa – Rua XV de Novembro, 275, Centro 
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos

01 e 02/02, das 18h30 às 22h30
Curso: Estratégias de Trading
Organização: UM Educacional
Local: filial da UM Investimentos em São Paulo, na Av. Chedid Jafet, 222, Vila Olímpia
Custo: R$ 350 (em até 12 vezes sem juros ou à vista com desconto)
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail cursos@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br ou (11) 3525-3478

11/02, das 8h30 às 17h30
Curso: Análise fundamentalista de empresas
Organização: Consultoria Comdinheiro e FIA (Fundação Instituto de Administração)
Local: Unidade FIA Butantã - Rua José Alves da Cunha Lima, 172, Butantã
Custo: R$ 1.000 em duas vezes iguais ou com 10% de desconto à vista
Para participar: Inscreva-se pelo site http://www.fiaefinancas.com.br/mod/resource/view.php?id=52
Mais informações:  fiaefinancas@fiaefinancas.com.br e (11) 3732 2002

13 e 14/02, das 19h às 22h30
Curso: Educar Família – planejamento de orçamento e investimentos
Organização: BM&FBovespa
Local: Sede da Bolsa – Rua XV de Novembro, 275, Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos

28 e 29/02 e 01 e 02/03, das 19h às 22h30
Curso: Valuation - Análise de empresas para investimentos
Organização: Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais)
Local: Sede da Apimec - Rua Líbero Badaró, 300, 2o. andar, Centro
Custo: R$ 800 para associados Apimec e R$ 1.100 para não-associados
Para participar: Inscreva-se pelo email eventos@apimecsp.com.br ou pelo telefone (11) 3107 1571
Mais informações: No site http://www.projup.com.br/arq/121/arq_121_219470.jpg


---À DISTÂNCIA---

24/01, das 19h às 21h
Palestra: Análise técnica
Organização: Rico, homebroker da corretora Octo 
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site  http://www.rico.com.vc/Central/PalestraOnline/Inscricao.aspx?menuitem=55&idType=5&eventId=2053
Mais informações: www.rico.com.vc e (11) 2505 1907 

Permanente

Curso: Etapas do planejamento financeiro
Organização: Prof. Elisson de Andrade
Custo: gratuito
Para participar: Acesse o site http://profelisson.com.br/cursosonline/ 

Permanente
Cursos: Finanças pessoais e mercado de ações (vários)
Organização: BM&FBovespa
Custo: gratuito
Para participar: Acesse o site http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/educacional/cursos/cursos.aspx?idioma=pt-br

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

DICAS PARA CUIDAR BEM DO SEU DINHEIRO

Escrito por Denyse Godoy às 14h35

Comentários () | Enviar por e-mail | Agenda | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

denysegodoy Elaborado pela jornalista Denyse Godoy, o blog trata da economia da vida real.


Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.