Ou seja, os valores recolhidos a mais não podem ser compensados na declaração periódica de ajuste, entregue à Receita Federal no ano seguinte, ao contrário do que acontece com os rendimentos mensais normais.

Daí a importância de, no final do ano, fazer uso de todos os descontos permitidos pela legislação. Quem os ignora não tem como recuperar o prejuízo depois.

As despesas deduzíveis do abono natalino são: as que dizem respeito a pensão alimentícia, aos dependentes, a contribuições para a previdência oficial (INSS) e depósitos em previdência privada –a parte quitada pelo trabalhador– e a parcela isenta referente a aposentadoria ou pensão.

O que o empregado deve fazer a fim de aproveitar ao máximo as vantagens garantidas pelas regras vigentes é, primeiro, alinhar e conferir com a empresa todos os descontos que serão lançados –afinal, a fonte pagadora é a responsável pelo cálculo e pelo repasse ao Leão dos valores devidos.

Os gastos familiares merecem atenção especial. 

"É facultado à mãe, por exemplo, incluir o marido e os filhos como seus dependentes ao longo dos meses, inclusive no décimo terceiro, e, na hora da efetiva prestação de contas anual, mudar essa opção", explica André Duarte, diretor da consultoria DeclareCerto IOB.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!