Ganhar, gastar, guardar

por Denyse Godoy

 

O que fazer quando se perde a casa em um acidente?

"Nossa vida virou pó."

Entre a tristeza e a indignação, um dentista contava ao canal de televisão Globo News, na manhã de hoje, que perdeu seu consultório –o qual dividia com um sócio– no desabamento do prédio onde a sala se localizava, no centro do Rio de Janeiro. Outros dois edifícios ruíram junto, ontem à noite.

A dor de quem sofre a morte de um parente ou amigo em um acidente como esse obviamente supera qualquer outro problema advindo de tal fatalidade, porém é impossível não se colocar no lugar do senhor grisalho que observava, perdido, os caminhões de entulho carregando os restos de 35 anos de trabalho: como agir quando uma tragédia destrói sua casa ou seu negócio?

Poucas pessoas têm uma reserva financeira que lhes permita reconstruir o seu lar ou ganha-pão do zero, se necessário. 

Seguros residenciais, obrigatórios de condomínio e empresariais costumam incluir na sua cobertura básica incêndios e explosões –por exemplo, as provocadas por vazamento de gás, como a que derrubou o restaurante Filé Carioca em outubro passado, também no centro da capital fluminense.

As apólices possuem faixas de indenização –e de preços– bastante amplas, por isso é importante fazer uma avaliação correta dos bens a serem protegidos antes da assinatura do contrato. Afinal, pouco adianta, na hipótese de perda total, contar com um instrumento que oferece apenas R$ 10 mil de compensação.

Muitas vezes, adquire-se seguros por uma ocasional sugestão do gerente do banco ou pela imposição do dono do imóvel ao seu locatário, e aí nem se lê direito a apólice.

Recomenda-se enfaticamente, então, tirá-la da gaveta e revisá-la periodicamente a fim de readequar suas condições à evolução do patrimônio em questão.

Desabamentos por falhas estruturais impressionam e sempre chamam a atenção devido à sua raridade. Por isso mesmo, pouquíssimas seguradoras permitem que o cliente coloque tal cobertura na sua apólice, a um custo bastante elevado.

É complicado atribuir culpas nessa situação; mas, apurando-se as responsabilidades, construtoras e a prefeitura podem ser processadas por danos materiais e morais.

A decisão da Justiça não vem, entretanto, com a urgência que as circunstâncias exigem.

Assim, a melhor orientação para tentar prevenir desastres é deixar a manutenção do imóvel em dia e participar ativamente do cotidiano do condomínio de perto para supervisionar as medidas tomadas pelo síndico e pela administradora.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

+ PARA ENTENDER DIREITO

Escrito por Denyse Godoy às 17h52

Comentários () | Enviar por e-mail | Despesas | PermalinkPermalink #

Competição entre cartões pré-pagos de viagem beneficia o turista

Em 2011, os turistas brasileiros gastaram no exterior US$ 21,2 bilhões, 30% mais do que no ano anterior.

É de olho nessas impressionantes cifras que as principais bandeiras de cartões pré-pagos utilizados em viagens correm para melhorar seus produtos e os serviços agregados --em disputa, está o segundo melhor mercado potencial para tal instrumento de câmbio, atrás somente da China.

Observa-se nesse setor, nos últimos meses, o exemplo mais claro de como a competição favorece o consumidor no país.

Nas funcionalidades básicas, como reposição em caso de perda e segurança no uso, as ferramentas praticamente se equivalem. As inovações têm aparecido, então, no atendimento (e nos mimos) ao usuário e no recarregamento do plástico.    

Ansiosa por recuperar o tempo perdido, a American Express, última grande companhia a lançar um cartão desse tipo, em março do ano passado, é responsável pelo maior avanço do produto desde o seu surgimento: em parceria com o banco Itaú, o emissor, agora oferece a possibilidade de recarga diretamente da conta corrente, pelo internet banking, telefone ou celular. Normalmente, a operação envolve uma razoável burocracia, que consome até dois dias úteis e frustra quem está precisando de recursos extras durante o passeio fora. 

Outra prioridade para a companhia são os convênios com varejistas dos destinos favoritos dos brasileiros –Orlando, Miami e, em breve, Nova York–  para descontos em compras.

Um dos trunfos da Visa está na quantidade de moedas a serem colocadas. Junto com o banco Cruzeiro do Sul, permite ao interessado carregar seu plástico com qualquer divisa circulante no mundo, poupando o turista, dessa maneira, de conversões demasiadas, as quais acabam significando perda de dinheiro.

Também criou, com o banco Rendimento, um cartão VIP, chamado Platinum, que devolve ao cliente a diferença paga caso o turista a mesma mercadoria adquirida com o plástico encontre em outra loja  por valor menor e assegura os itens quanto a quebra e roubo no transporte até a residência.

O usuário de todas as categorias de plástico criadas por esse emissor conseguem, ainda, visualizar saldo e extrato de transações no iPhone e no iPad. Em março, a consulta estará disponível para tablets e celulares com sistema Android e para o BlackBerry.

Para os clientes do cartão da MasterCard, existe um programa de fidelidade que dá pontos a cada compra, os quais troca-se por brindes.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

+ INFORMAÇÕES SOBRE O CÂMBIO PARA VIAGENS

DICAS PARA CUIDAR BEM DO SEU DINHEIRO

Escrito por Denyse Godoy às 20h56

Comentários () | Enviar por e-mail | Despesas | PermalinkPermalink #

Por que o dólar não é investimento

A notável alta das cotações entre setembro e dezembro do ano passado reavivou na lembrança de muitos brasileiros os tempos em que se usava o dólar como investimento ou proteção contra a inflação meados da década de 1980.

Mas há tempos tal estratégia não funciona, por um motivo simples: no longo prazo, a divisa dos EUA perde valor em relação ao real.

Um estudo divulgado hoje serve como argumento definitivo nessa discussão. Segundo levantamento do Instituto Assaf, no período de 2001 a 2011, a aplicação na moeda americana foi a única que deu prejuízo, de 53,83%, já considerando a inflação.

Quem colocou seu dinheiro em títulos públicos se deu melhor: ganhou 183,91%. Em segundo lugar, ficou o ouro outra opção que na realidade não é recomendada para o pequeno poupador com 131%; em terceiro, o DI, com 104,45%.

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

Escrito por Denyse Godoy às 19h48

Comentários () | Enviar por e-mail | Investimentos | PermalinkPermalink #

AGENDA: Cursos e palestras para aprender a cuidar melhor do seu dinheiro

Diversas instituições oferecem oportunidades de aprendizado para quem vai efetivamente colocar em prática a decisão de organizar a vida financeira em 2012. Confira:  


---PRESENCIAIS---

BAHIA

Salvador

10/02, das 11h às 18h
Palestra: Opere ao vivo
Organização: Rico, homebroker da corretora Octo Investimentos, e Proinvestors
Local: Sede da Proinvestors: Avenida Tancredo Neves, 3343 - salas 301 e 306 - Pituba
Custo: R$ 240 para clientes e R$ 330 para não clientes
Mais informações: http://www.rico.com.vc/ e telefones (71) 3419 2575 e (71) 3419 2572


RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro

23 e 24/01, das 18h30 às 22h
Curso:
 Educar Master – Curso básico de educação financeira (universitários e adultos)
Organização: BM&FBovespa
Local: Instituto Educacional BM&FBOVESPA: Rua do Mercado, 11 – Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos
Mais informações: www.bmfbovespa.com.br/cursos

24/01, das 13h às 17h30
Curso:
 Educar Mulheres em Ação (planejamento de orçamento e investimentos para mulheres)
Organização: BM&FBovespa
Local: Instituto Educacional BM&FBOVESPA: Rua do Mercado, 11 – Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos
Mais informações: www.bmfbovespa.com.br/cursos


SÃO PAULO

São Paulo

23 e 24/01, das 19h às 22h30
Curso:
  Educar Master – Curso básico de educação financeira (universitários e adultos)
Organização: BM&FBovespa 
Local:  Sede da Bolsa – Rua XV de Novembro, 275, Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos

24/01, das 9h às 12h
Palestra:
 Aposentadoria sem dívidas
Organização: Instituto Dsop de Educação Financeira
Local: Sede do Dsop – Avenida Paulista, 726, conjunto 1210
Custo: gratuito 
Para participar: Inscreva-se pelo telefone (11) 3177 7800 ou pelo email dividas@dsop.com.br
Mais informações:  http://dsop.com.br/agenda.html?controller=simplecalendar&view=detail&id=423

28/01, das 9h às 18h
Curso: Formação de traders
Organização: Rico, homebroker da corretora Octo 
Local: Sede da Rico - Rua Joaquim Floriano, 960, 5o. andar, Itaim Bibi
Custo: R$ 270 para clientes e R$ 360 para não-clientes
Para participar: Inscreva-se pelo site http://www.rico.com.vc/Central/CP/Inscricao.aspx?menuitem=55&idType=1&eventId=1990
Mais informações: www.rico.com.vc e (11) 2505 1907

30/01, das 9h às 15h
Curso: Como investir em ações
Organização: BM&FBovespa
Local: Sede da Bolsa – Rua XV de Novembro, 275, Centro 
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos

01 e 02/02, das 18h30 às 22h30
Curso: Estratégias de Trading
Organização: UM Educacional
Local: filial da UM Investimentos em São Paulo, na Av. Chedid Jafet, 222, Vila Olímpia
Custo: R$ 350 (em até 12 vezes sem juros ou à vista com desconto)
Para participar: Inscreva-se pelo e-mail cursos@umeducacional.com.br
Mais informações: www.umeducacional.com.br ou (11) 3525-3478

11/02, das 8h30 às 17h30
Curso: Análise fundamentalista de empresas
Organização: Consultoria Comdinheiro e FIA (Fundação Instituto de Administração)
Local: Unidade FIA Butantã - Rua José Alves da Cunha Lima, 172, Butantã
Custo: R$ 1.000 em duas vezes iguais ou com 10% de desconto à vista
Para participar: Inscreva-se pelo site http://www.fiaefinancas.com.br/mod/resource/view.php?id=52
Mais informações:  fiaefinancas@fiaefinancas.com.br e (11) 3732 2002

13 e 14/02, das 19h às 22h30
Curso: Educar Família – planejamento de orçamento e investimentos
Organização: BM&FBovespa
Local: Sede da Bolsa – Rua XV de Novembro, 275, Centro
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site www.bmfbovespa.com.br/cursos

28 e 29/02 e 01 e 02/03, das 19h às 22h30
Curso: Valuation - Análise de empresas para investimentos
Organização: Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais)
Local: Sede da Apimec - Rua Líbero Badaró, 300, 2o. andar, Centro
Custo: R$ 800 para associados Apimec e R$ 1.100 para não-associados
Para participar: Inscreva-se pelo email eventos@apimecsp.com.br ou pelo telefone (11) 3107 1571
Mais informações: No site http://www.projup.com.br/arq/121/arq_121_219470.jpg


---À DISTÂNCIA---

24/01, das 19h às 21h
Palestra: Análise técnica
Organização: Rico, homebroker da corretora Octo 
Custo: gratuito
Para participar: Inscreva-se pelo site  http://www.rico.com.vc/Central/PalestraOnline/Inscricao.aspx?menuitem=55&idType=5&eventId=2053
Mais informações: www.rico.com.vc e (11) 2505 1907 

Permanente

Curso: Etapas do planejamento financeiro
Organização: Prof. Elisson de Andrade
Custo: gratuito
Para participar: Acesse o site http://profelisson.com.br/cursosonline/ 

Permanente
Cursos: Finanças pessoais e mercado de ações (vários)
Organização: BM&FBovespa
Custo: gratuito
Para participar: Acesse o site http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/educacional/cursos/cursos.aspx?idioma=pt-br

Siga a coluna no Twitter para um resumo diário das notícias que mais interessam ao seu bolso!

DICAS PARA CUIDAR BEM DO SEU DINHEIRO

Escrito por Denyse Godoy às 14h35

Comentários () | Enviar por e-mail | Agenda | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

denysegodoy Elaborado pela jornalista Denyse Godoy, o blog trata da economia da vida real.


Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.